Olá, girls! Tudo bom com vocês meninas? Primeiro eu peço desculpas pelo atraso desse post, que deveria ir ao ar no começo da semana, mas eu comecei a trabalhar + faculdade e ainda fiquei doente nessa semana, ou seja, não deu! Porém, hoje resolvi me dedicar totalmente a esse projeto e vou começar com uma das piores expectativas do namoro cristãos:


A síndrome do príncipe encantado


Esse termo na verdade foi "criado" por mim, mas para descrever algo real que tem atingido muito as moças cristãs. Não me entenda mal quando eu falo que não devemos esperar por um príncipe encantado. Afinal, nós somos princesas do Senhor Jesus, filhas do Rei. Porém, sabemos que não somos perfeitas, nem sempre falamos o que devemos no momento correto. Não temos sempre a resposta perfeita na ponta da língua, às vezes podemos ser ácidas, sarcásticas e grosseiras. Somos completamente imperfeitas, mas com um Deus que nos ama ainda assim.

Porém, quando assumimos a postura de princesas - e nos colocamos nesse nível de realidade - e buscamos por um príncipe, nós esquecemos que assim como nós, eles também são imperfeitos. Eles também podem se estressar facilmente, não perceber as coisas em milésimo de segundos como tanto gostaríamos, não tem o poder de adivinhar nossos desejos e nossas vontades com a força do pensamento e nem sempre elaboram estratégias mirabolantes para nos fazer sorrir como os mocinhos dos nossos filmes de romance preferidos tanto parecem saber fazer.

E é aí que está: estamos sempre e constantemente sendo bombardeadas pelos livros, filmes e seriados de que os homens, apesar de errarem, sempre vão fazer aquela grande surpresa no final, adivinhar todos nossos pensamentos e nos colocar em um patamar de princesa. E, infelizmente, essa não é a realidade, pelo menos não a realidade normal, comum, a realidade de todos. Nem sempre o mocinho vai aparecer com um grande buquê de flores depois de um erro, ou não vai fazer aquele pedido de casamento de uma maneira que sua mente nunca tinha conseguido imaginar de forma tão criativa. Nem sempre eles vão acertar, e nem sempre vão se dar conta de seus erros. Eles são humanos, imperfeitos e, ainda, pecadores. 



E o fato é que não esperamos por isso. Nós estamos acostumadas através da ficção a esperar grandes gestos, a esperar que o namorado/noivo nos coloque em um lugar bem alto de "perfeição" e adivinhe nossos gostos e vontades, e nos faça feliz assim. Dessa forma quando nos relacionamentos com pessoas normais - as imperfeitas e verdadeiras - nós começamos a ver defeitos com tudo e comparar com aquele mocinho do livro de romance que nunca faria algo assim, ou que o galã do nosso filme preferido que sempre perceberia algo antes que pudesse ser dito e faria algo a respeito antes que o problema surgisse. 

Porém, nós sabemos que isso não é possível. Aquelas pessoas são criadas, são imaginadas a partir justamente de expectativas, essas expectativas que cultivamos em nossos corações e colocamos como o padrão "ideal" de uma pessoa para se relacionar. E isso nos decepciona, pois essas expectativas são apenas frutos da imaginação e não a realidade. Nós, como moças cristãs, não devemos esperar por príncipes encantados que parecem sempre ter uma carta na manga para ser lançada na hora e momento certo. Devemos esperar, no entanto, por servos do Senhor.

Devemos sim buscar por um bom namorado, noivo e futuro marido. Talvez você possa nomeá-lo carinhosamente de príncipe, mas sem se esquecer que esse não é como os da Disney. Ele deve ser uma pessoa que ama você, que te respeita, cuida de você, se preocupa com suas necessidades, que é carinhoso, paciente e bondoso. Apoia seus sonhos, planos e projetos. Te ajuda, te ensina e te protege. Faz tudo que está em seu alcance para te ver feliz e com um enorme sorriso no rosto.



Isso é o que a Bíblia nos ensina. Não fala que devemos buscar por quem que vai fazer "grandes gestos" como prova de amor, quem vai te dar presentes incríveis, vai aparecer numa manhã de quarta-feira com um grande buquê de rosas vermelhas só para mostrar que te ama e sem nenhum motivo a mais. Nada contra os grandes gestos e demonstração de amor, mas esse não deve ser o padrão de pessoa para se relacionar que devemos buscar, nem o padrão de relacionamento. Devemos passar a apreciar as pequenas coisas: a mensagem de bom dia toda manhã, o telefone no meio do dia para saber como você está, a presença e o abraço cheio de carinho, o comprometimento assumido com o relacionamento. Isso é o que conta de verdade. Essa é a "perfeição" que devemos buscar, o padrão a se almejar.

Além disso, devemos entender que as pessoas erram. Assim como você erra, a pessoa que você ama também erra. Ela também fala o que, como e quando não deve. Também toma atitudes baseadas em impulsos. Também deixam passar coisas importantes sem perceber. Vai te decepcionar algumas vezes por conta dessas coisas ou outros problemas que irão surgir. A pessoa que você ama, ou que vai amar, vai errar bastante. Ela é pecadora, como você é. O importante então, não é busca pela pessoa que parece que erra menos, que nunca pisou na bola. Mas buscar pela pessoa que é aperfeiçoada diariamente a ser alguém melhor, que procura se esforçar todos os dias para mudar, para se tornar alguém melhor por sua causa. E você, entendendo isso tudo, deve ajuda-la. 

Vamos então esquecer essa expectativa de buscar pelo cara perfeito digno de um filme de Hollywood e buscar por aquele padrão que Deus estipulou em nossa vida? Busque então por aquele moço que gosta de ver sorrindo, que não lê mentes, mas te ouve atentamente. Aquele que erra várias vezes, mas a cada dia você vê ele buscando ser alguém melhor. Deixemos para trás as expectativas de grandes gestos, valorizemos quem está mostrando no dia a dia, nas sutilezas da vida, que nos ama.

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de MakeUp com a Boca Rosa