Se você não faz ideia do que trata o projeto 7 dias buscando o domínio próprio, clique aqui e conheça ♥ Se você ainda não viu o post do primeiro dia, clique aqui e confira! Se você não viu o segundo, clique aqui e leia.  Lembrando que o ideal é fazer um dia por post, então se você começar hoje comece pelo post de do dia 1º, ok?

Antes de passarmos para o tema de hoje é importante que você tenha certeza do dia anterior. Nossas palavras tem muito poder, muita força para fazer o bem, edificar vidas, quanto para o mal, destruir uma pessoa. É tanto que existe até mesmo a violência verbal, e ela é tão ruim quanto uma violência física. Saber o que se fala, ter consciência do poder que o que você diz pode gerar é muito importante. 

"Considerem: uma árvore boa dá bom fruto; uma árvore ruim, dá fruto ruim, pois uma árvore é conhecida por seu fruto. Raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração. O homem bom, do seu bom tesouro, tira coisas boas, e o homem mau, do seu mau tesouro, tira coisas más. Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado. Pois por suas palavras você será absolvido, e por suas palavras será condenado". Mateus 12:33-37

Por isso que é necessário antes de pularmos do segundo para o terceiro dia, que tenhamos assimilado bem o que foi dito anteriormente. A nossa boca apenas pronuncia o que está em nosso coração, embora possamos às vezes falar coisas que não compactuam com o que sentimos.

Ao buscarmos por sabedoria é importante que tenhamos uma consciência muito grande sobre o que falamos. Todo nosso modo de agir, como cristãos, deve ser para um bom testemunho, deve ser para edificar a vida das pessoas, para atrair aqueles que ainda não são cristãos, para ajudar nossos irmãos. E nossas palavras tem um grande papel nisso.

Por isso começo o post de hoje falando sobre as palavras torpes, os palavrões, as ofensas, as humilhações, os sentimentos ruins e pecaminosos expressados através da boca.

Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Efésios 4:29

Nós infringimos muito a lei de Deus ao não termos o controle sobre o que falamos. Sei que para quem tem o hábito de falar palavrões é muito dificil mudar, porém em Cristo nós temos força para ir contra todo esse mal. E é importante tomarmos o ponto de partida. É importante tirarmos nossa boca, nossas palavras, nosso coração das mãos do mal. Afinal, que comunhão há entre a luz e as trevas? Como alguém que se diz bom, cristão, pode falar coisas que são cheias de pecado, contra o que Deus ensina e manda?

Mas agora, abandonem todas estas coisas: ira, indignação, maldade, maledicência e linguagem indecente no falar. Colossenses 3:8
Quando falamos palavras torpes sem perceber isso mostra o quanto já não temos mais controle sobre o que dizemos. Isso mostra o quanto falta domínio próprio em nossas vidas. E vamos relembrar: o domínio próprio é uma das caracteristicas da vida cheia com o Espirito Santo!!!

Um pouco ponto importante para refrisar é quando não chegamos a falar palavras indecentes, mas não controlamos nossa boca o suficiente e sempre nos arrependemos do que dizemos. Isso se chama imprudência. Tantas vezes estamos irados e acabamos pecando por não termos calma para analisarmos a situação e falamos então coisas que machucam o outro. Muitas vezes podemos dizer até mesmo a verdade, porém no calor do momento falamos de uma forma dura e cruel.

No livro de Tiago, no capitulo 3, é muito falado sobre o poder das palavras. Chega a ser dito que quem consegue dominar o que fala, consegue dominar todo o seu corpo. Forte, não é mesmo? As nossas palavras por menores que sejam podem incendiar, podem machucar, podem ferir grandemente uma pessoa e pode trazer um mal muito grande a nós mesmos, que estamos sendo influenciados pelo inferno (Tiago 3.6).

O tolo revela todo o seu pensamento, mas o sábio o guarda até o fim. Provérbios 29:11
Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio. Provérbios 10:19

Termos o domínio sobre o que dizemos nos diferenciará muito do mundo. Se você fala palavrões, é uma pessoa desbocada e "não tem papas na língua", mas toma a atitude de mudar, com certeza fará muita diferença em seu circulo de amigos. Além disso, aquele que é paciente, bondoso e sábio atraem boas pessoas e consegue influenciar os outros só com seu jeito de ser.

Devemos ser sal da terra e luz do mundo. E mudar nosso comportamento, ir contra a corrente pecaminosa do mundo mostrará a diferença que Cristo faz na vida de alguém. Então, vamos orar?

Senhor, Pai misericordioso, tenho consciência das coisas que falo de errado, de como deixo muitas vezes que meu coração e minha boca sejam dominados pelo pecado, e como ele faz com que eu perca o domínio próprio. Peço perdão pelas ofensas proferidas, pelas palavras indecentes e torpes que pronuncio. Peço perdão por aqueles que feri ao falar sem pensar. Perdoa-me por me contaminar com as coisas desse mundo e me esquecer que meu testemunho é crucial na vida daqueles que me cercam e, assim, mancho a imagem de Cristo e da Igreja. Que o Senhor possa vir me restaurar, transformar meu coração, me dar forças para não mais pecar. Que teu Espirito Santo gere sempre o arrependimento e que a cada erro eu possa melhorar, que ele me purifique e faça morada em meu coração, gerando constantemente o domínio próprio em todas as áreas da minha vida. Auxilia-me, Senhor, a dar um bom testemunho, a ter temperança, a ser sal e luz. Amém.

 Como sempre a oração, a confissão do pecado, o pedido de perdão e o desejo de mudar devem fazer parte. É necessário que a cada vez que você fale algo que seja errado, do qual o Espirito de Deus te incomode, você se repreenda, você mude. Peça perdão também aqueles que você ofendeu e você ofende com suas palavras. Ler e meditar na Palavra de Deus é fundamental para que possamos mudar de atitude. Então fiquem com esses versículos:


Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo. Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo. Tomem também como exemplo os navios; embora sejam tão grandes e impelidos por fortes ventos, são dirigidos por um leme muito pequeno, conforme a vontade do piloto. Semelhantemente, a língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha. Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniqüidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno. Toda espécie de animais, aves, répteis e criaturas do mar doma-se e é domada pela espécie humana; a língua, porém, ninguém consegue domar. É um mal incontrolável, cheio de veneno mortífero. Com a língua bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. Da mesma boca procedem bênção e maldição. Meus irmãos, não pode ser assim! Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte? Meus irmãos, pode uma figueira produzir azeitonas ou uma videira, figos? Da mesma forma, uma fonte de água salgada não pode produzir água doce. Tiago 3:2-12



3 Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de maquiagem online