Muito mais emocional do que o primeiro filme, Alice Através do Espelho me fez relembrar o porquê eu amo tanto esse universo criado por Lewis Carroll. Se você não assistiu o primeiro filme, não tem problema. Essa resenha NÃO contém spoilers.

Alice (Mia Wasikowska) retorna após uma longa viagem pelo mundo, e reencontra a mãe. No casarão de uma grande festa, ela percebe a presença de um espelho mágico. A jovem atravessa o objeto e retorna ao País das Maravilhas, onde descobre que o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) corre risco de morte após fazer uma descoberta sobre seu passado. Para salvar o amigo, Alice deve conversar com o Tempo (Sacha Baron Cohen) para voltar às vésperas de um evento traumático e mudar o destino do Chapeleiro. Nesta aventura, também descobre um trauma que separou as irmãs Rainha Branca (Anne Hathaway) e Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter).
O filme começa com Alice, que agora é capitã de seu barco, comandando uma viagem em alto mar. Nesse momento já podemos perceber que o longa será repleto de efeitos especiais e cores, até mais do que o primeiro. Devido a desentendimentos familiares, no mundo real, Alice acaba encontrando um espelho mágico, no qual, para escapar de ser pega, ela ultrapassa e entra no universo já conhecido, o País das Maravilhas.

Chegando lá, Alice descobre que precisa ajudar os seus amigos a salvar o Chapeleiro Maluco, que está doente por acreditar que sua família está viva. Ele pede a jovem para que o ajude a trazê-la de volta. Porém, dessa vez, a moça acredita que essa missão é realmente impossível, o que deixa o Chapeleiro ainda mais triste. Mas é claro que Alice não se conforma e vai atrás de realizar seu pedido e é ai que a beleza do filme começa.

Alice Através do Espelho, ao contrário do primeiro filme que tem como um dos temas principais a amizade e a "busca do impossível", aborda os relacionamentos familiares e nos faz refletir sobre o quanto a nossa família é importante para nós. Além disso, a viagem no tempo e a lição de que não podemos alterar o passado está presente no filme todo, com direito até mesmo a um novo personagem que é a personificação do próprio Tempo.

Uma das frases de efeito do filme que mais me chamaram a atenção foi a “você não pode mudar o passado, mas pode aprender com ele”, dita pelo próprio Tempo, personagem capaz de comandar tudo e todos, mas ao contrário do que muitos pensam, o tempo não é cruel e nem serve para levar as pessoas queridas embora. Ele é mais do que isso, ele é capaz de fazer sua vida valer a pena com apenas um segundo, ele é capaz de nos oferecer os melhores presentes. Reclamar do passado só fará com que percamos o momento.

Além de muitas outras reflexões a respeito do tempo e da importância da família, Alice também traz um grande ensinamento. Ela, uma menina forte e que adora fugir dos padrões da sociedade que, na época, era ainda mais patriarcal e conservadora, aparece nesse filme como uma guerreira, que sabe o que quer na vida, mas que ao menos tempo tem as mesmas saudades e tristezas de qualquer outro ser humano. Aliás, em minha opinião, a atuação morna da Mia Wasikowska melhorou significativamente nessa continuação.

De modo geral, Alice Através do Espelho me encantou tanto - ou até mais - que o primeiro longa. Tenho certeza de que se você gostou do "universo das maravilhas", também vai gostar dessa continuação. Apesar de ser um filme para crianças, as lições que ele aborda, além da temática psicológica de um suposto mundo criado por Alice, servem para jovens e adultos também, principalmente para aqueles que sabem apreciar um bom filme de entretenimento.

2 Comentários

  1. Amo esse filme vi no cinema e pretendo fazer a resenha dele também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No cinema ele deve ser mais lindo ainda <3
      Quando fizer a resenha, manda o link. Vou adorar lê-la :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de maquiagem online