Os delírios de consumo de Becky Bloom é o livro de estreia da Sophie Kinsella, que hoje é uma das maiores e melhores autoras de chick-lit  (também conhecido como romance de mulherzinha). A primeira história da série da Becky Bloom foi lançada em 2000, ganhou uma adaptação cinematográfica e ainda hoje faz maior sucesso! 

Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
Páginas: 432
Ano: 2006 (minha edição, a 10ª)
Nota: 3/5
Sinopse: É a história de uma jornalista financeira que durante o dia, ensina às pessoas como administrar seu dinheiro e no fim-de-semana, transforma-se em uma consumidora compulsiva, fugindo do gerente do seu banco e com muitas dívidas. Rebecca Bloom não resiste uma liquidação! Quanto mais inútil, melhor! Para ela, o mundo todo enxerga os detalhes da alça de seu sutiã, combinando com as cores de seus sapatos. Mas seu salário nunca é suficiente para pagar suas extravagâncias. Endividada até a alma, Rebecca, ou Becky, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito.
Becky Bloom trabalha com jornalista financeira. O que é a maior ironia da sua vida levando em conta que está endividada até a alma e odeia finanças. O que ela gosta mesmo é de comprar. Qualquer coisa, pois, somente o ambiente de uma loja consegue fazê-la relaxar. E por conta disso ela acabou adquirindo dívidas exorbitantes no banco e em seus cartões de crédito, o que acaba a levando a criar grandes fantasias - como ganhar na loteria- e fazer as coisas mais insanas -jogar as contas em um caminhão de lixo sem nem ler-. 

Acho que a sinopse já conta muito sobre quem encontraremos nesse livro. Já havia visto o filme e confesso que só não me decepcionei com o livro porque não estava com muitas expectativas. O filme é bem diferente da obra da Sohpie, não me arrisco dizer que é melhor, mas sem dúvidas me deixou com uma sensação muito boa no coração, ao contrário do livro. 

Becky é completamente descontrolada com seu dinheiro e, até certo ponto, infantil. Sei que é a realidade de muitas pessoas isso de consumir compulsivamente, mas admiro muito o autocontrole e sou bem organizada com meu dinheiro, só de pensar em dívida sinto um calafrio. Talvez por isso tenha odiado tanto a protagonista narradora na maior parte das paginas do livro. Deu aflição, agonia e só pensava que ela iria ser presa a qualquer momento. 

Ela sempre se esquece de suas dívidas e, quando lembra, finge que não é nada demais. Quando achamos que ela vai tomar jeito e aprender... tcharam, mais ilusão! Em certos momentos eu conseguia me divertir até, o que salvou o livro, mas em grande parte eu me sentia irritada por conta da sua hipocrisia, e, principalmente, por ela mentir tanto para si mesma. 

O livro tem um romance beeeeem leve e quase invisível, que é esquecido durante o desenvolvimento e lembrado no final. Não achei isso ruim, na verdade, porque todas as aventuras e loucuras da Rebecca conseguiram me distrair bastante. Talvez algo que tenha me desagradado, no entanto, foi a falta de histórias em segundo plano, os outros personagens até tinham suas histórias, mas a visão da protagonista é um tanto egoísta e não dá espaço pra isso. 

O final foi um tanto surpreendente e levou ao que eu queria justamente, os últimos capítulos me deixaram com aquela sensação boa que experimentei ao longo do filme, e podemos ver com mais clareza a Becky além do seu vício, uma mulher determinada, forte e cheia de sonhos. Alguém que nem ela mesma sabia que era! E isso foi muito bom. 

A leitura vale a pena pra você que quer um livro divertido, isso a Sophie Kinsella sabe fazer como ninguém, e não se importa com personagens, no minimo, exageradas. O livro tem narrativa leve e descontraída. A diagramação é excelente, bom espaçamento e com páginas em um layout diferente em mensagens como cartas, tudo isso contribui para que a leitura seja ainda mais fácil e fluida. 

8 Comentários

  1. Eu gosto de leituras leves e fluidas então acho que vou dar uma chance a esse livro.
    Beijos
    www.infinitafeminice.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oiii, como vai?
    Menina eu confesso que estou louquinha para ler esse livro, é uma obra e tanto <3 e adoro os surtos da Becky huahauhaauhau uma leitura para dar belas risadas.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu nunca li nada da Sophie, mas morro de vontade.
    Eu também já assisti o filme, mas acho o filme bem mais ou menos. Sou um pouquinho louca com o dinheiro também, não faço dívidas, mas se deixar gasto tudo rapidinho hahaha.
    Gostei de saber que o livro possui uma narrativa leve e descontraída, e fiquei curiosa sobre o final surpreendente.
    Espero ler a obra em breve!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Amo Kinsella!
    Vc já leu Menina de Vinte? leia é bom demais, aliás todos dela é bom!
    Tô com o casamento e o Chá que ainda não tive tempode ler e ah Procurando Audrey
    Curti mto sua resenha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bem? Vi o filme, mas ainda não li o livro. Acho que eu iria gostar da leitura, vou anotar na lista!

    ResponderExcluir
  6. Olá, esse não é o meu tipo de leitura, mas tenho uma amiga que adora os livros da autora e se ela ainda não leu esse vou indica-lo *-*

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Amei a resenha. Nunca li o livro nem vi o filme, mas tenho interesse nos dois.
    Achei legal você ter citado como a protagonista te incomodou pelo fato de ser o extremo oposto a você. Acho que essa que deve ser a grande graça do livro.

    Beijos
    http://www.mundoinvertido.com/

    ResponderExcluir
  8. Esse foi um daqueles livros que eu devorei loucamente em menos de um dia! Não é o melhor livro da vida, mas chick-lit - especialmente os da Sophie Kinsella - é o gênero perfeito pra relaxar. Esse livro é muito amorzinho, hahahaha

    ;*

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de maquiagem online