Hey, gente! Como vão?

Hoje eu estou trazendo uma categoria nova para o blog que eu nomeei de "Nas entrelinhas". Na verdade esse espaço é para entrevista com escritoras e eu apenas quis dar um nome diferente, rs. E para estrear a categoria eu quis trazer uma autora que eu conheci em 2015 e me conquistou com a escrita como escritora e o carisma como pessoa.


A Lavínia Rocha tem 18 anos e nasceu em BH, Minas Gerais, e já publicou três livros (Um amor em Barcelona, De olhos fechados e Entre 3 Mundos). 

Eu pude ler o seu segundo livro, De Olhos Fechados, e posso afirmar para vocês que é uma escrita leve, uma história diferente e muito envolvente. 

Falei com a Lavínia que ela topou responder algumas perguntas minha sobre os seus livros, a vida de escritora e algumas coisas pessoais. Vem conferir!

 Lavínia Rocha
FNO- Antes de começarmos, quem é Lavínia Rocha? Como você se descreve?
L: Bom, sou uma pessoa bem atrapalhada, faladeira e risonha. Tenho certa dificuldade em aceitar que estou crescendo (bem Peter Pan mesmo!) e gostaria de parar o tempo na adolescência. Estou quase sempre de bom humor e me considero uma pessoa abençoada, pois sou cercada de pessoas muito amáveis.



FNO- Você publicou o seu livro bem nova (confesso que é uma grande inspiração para mim!), conta pra gente como foi esse processo, os obstáculos de publicar um livro no Brasil e ainda por cima tão jovem? 

L: Que lindeza, obrigada! O meu primeiro livro foi publicado de forma independente, meus pais custearam as duas edições. Eu só fui enfrentar a dificuldade com o segundo, quando decidi buscar uma editora que bancasse o projeto. Não foi fácil, e eu passei muito tempo achando que teria que abandonar o meu sonho. Como sempre fui muito motivada por minha família e por meus amigos, resolvi correr atrás; mandei emails para várias (várias mesmo!) editoras e recebi algumas respostas negativas (quando chegavam respostas!). Isso me chateou bastante, mas depois li na internet que autoras de best-sellers como a de “Crepúsculo” e a de “Harry Potter” também receberam nãos, o que me fez perceber que, por mais que parecesse difícil, esse era o meu sonho, então paciência, né? Eu teria que continuar tentando. Até que, enfim, encontrei a minha editora, a D’Plácido.

A entrevista ficou um pouco grandinha, se quiser continuar lendo é só clicar aqui ♥




FNO- Como é o seu processo de escrita? O que você faz quando senta para escrever?

L: Eu gostaria muito de ter um ritual estranho e engraçado só para responder a esse tipo de pergunta (rs), mas a verdade é que eu só sento, ligo o computador e deixo a minha imaginação fluir. Às vezes acontece uma “tempestade de ideias” do nada, e daí eu preciso parar de escrever para organizar aquelas coisas malucas que passam pela minha mente. Normalmente saio andando pela casa ou deito em algum canto. Fica parecendo que eu não estou fazendo nada, mas acredite, tem muita coisa acontecendo! hahaha


FNO- Quais são as coisas que mais te inspiram na vida e mais inspiram a escrever?

L: Praticamente tudo me inspira. Livros, filmes, séries, situações do dia a dia. Costumo brincar que as pessoas ao meu redor devem tomar cuidado com o que me contam, pois pode acabar indo parar nas minhas histórias (rs).

FNO- Como surgiu a ideia para escrever os seus livros?

L: O primeiro livro, Um amor em Barcelona, veio de um filme de romance adolescente. Eu tinha onze anos e fiquei suspirando pela casa. Decidi que queria criar uma história que causasse o mesmo tipo de reação nos leitores. Pelo que escuto, funcionou! O segundo, De olhos fechados, veio de um livro que se passava em BH. Eu amei tanto reconhecer os lugares que eram citados no livro, que me empolguei. Comecei a pesquisar sobre a história da cidade e acabei criando uma ficção em torno disso, já a questão da protagonista cega veio por causa do significado do nome “Cecília”. E, por fim, terceiro livro, Entre 3 mundos, teve uma série como pontapé inicial.


FNO- Quando você percebeu que era a hora de colocar as ideias no papel e que seria possível publicar?
quem é  Lavínia Rocha

L: Eu sempre gostei de escrever histórias no meu computador. Comecei a fazer isso bem novinha, quando fiquei irritada com o limite de 30 linhas que a professora de produção de texto impunha no colégio. Então tinha vários textos guardadinhos. Agora para publicar eu precisei ser empurrada pela minha amiga, pois morria de vergonha só de imaginar todo mundo lendo a minha história (apesar de não ser autobiográfica, eu tinha medo de as pessoas pensarem que era eu). Só que quando ela leu “Um amor em Barcelona”, praticamente me obrigou a mostrar para minha mãe... Até hoje eu agradeço à minha amiga por ter feito aquilo comigo. Se não fosse ela, minhas histórias estariam escondidas até hoje!


FNO- Em um dos seus livros, De Olhos Fechados, a protagonista é cega. Eu li o livro e confesso que fiquei apaixonada pela forma como você expôs os sentimentos dela, mudou a minha visão sobre determinadas coisas. Como foi escrever pelo ponto de vista de alguém cego? Você teve (ou tem) contato com deficientes visuais que ajudou na hora de escrever?

L: Fico muito feliz por saber disso! Costumo dizer que “De olhos fechados” foi o livro mais difícil que eu já escrevi. Eu não fazia ideia de como faria uma narradora-personagem cega. Não tinha contato direto com nenhum deficiente visual, então usei a internet. Li muitos depoimentos e dicas na internet. Vi dois curtas para me ajudar também e, aos poucos, fui construindo a Cecília e a sua história.

FNO- Quais são seus livros e autores preferidos?

L: Pergunta difícil essa! Já percebi que cada dia eu troco de “livro preferido”, então não dá nem pra escolher. Sobre os autores, costumo dizer que tenho três “heróis literários”: o Pedro Bandeira, a Thalita Rebouças e a Paula Pimenta. Os três me mostraram, no início da minha adolescência, que brasileiro também escreve (e escreve muito bem!), pois antes eu só lia livros internacionais. Então eu tenho uma gratidão enorme. 


FNO- E filmes, músicas e séries?

L: Eu sou a pior companhia do mundo para filmes e séries. Pensa numa pessoa medrosa! Agora multiplica... sou eu! E não tenho medo só do gênero terror, qualquer suspense (por mais bobinho que for), já tenho problemas (rs). Também não gosto de chorar, então vejo coisas leves como comédia e romance. Em relação a música, gosto de pop, mas escuto e danço o que tiver tocando.

FNO- O que você faz no seu tempo livre?

L: Leio, saio com amigos, família e namorado e vejo minhas séries preferidas.


 Lavínia Rocha

FNO- Você sofre com bloqueio criativo? Se sim, como faz para superar?

L: Sofro muito! No final do ano passado sofri com o pior bloqueio criativo de toda a minha carreira. Por causa do vestibular, fui obrigada a parar de escrever por uns meses e, quando voltei, sentia que não sabia mais como escrever! Foi horrível... (rs). Daí comecei a reler o meu projeto em andamento e fui me “reconectando” com a história, lembrei o que queria para a minha personagem e comecei a ter novas ideias. Acho que estou curada por enquanto hahah. Mas no geral, tento ver filmes e séries e ler livros para ter novas inspirações.

FNO- Você sempre quis ser escritora ou foi algo que simplesmente surgiu em sua vida?

L: Nunca tinha cogitado me tornar escritora. Isso não me parecia uma opção... Fui empurrada pela minha amiga, que leu “Um amor em Barcelona”. Ainda bem!

FNO- Qual foi o livro que fez você se apaixonar por esse mundo literário?

L: Eu sempre li muito, não me lembro do primeiro livro que me fez pensar: ok, esse é o meu novo vício. Mas sei que a coleção dos “Karas”, do Pedro Bandeira, me causou tanta euforia, que eu fiquei fascinada com o quanto um livro pode envolver uma pessoa.


livros da  Lavínia Rocha
FNO- Quais são os seus projetos para 2016? Pode compartilhar conosco?

L: Em 2016 vai ser lançada a 3ª edição de “Um amor em Barcelona” com uma nova capa, novas ilustrações e nova editora! Também vou participar de um livro de contos sobre deficiências e farei um conto sobre a Cecília. Além disso, pretendo lançar a continuação do meu terceiro livro, Entre 3 mundos, mas como ainda não terminei de escrever, não sei como vai ser.



FNO- Gostaria muito de agradecer pela entrevista Lavínia e te desejar grande sucesso nesse meio literário! Por ultimo, gostaria que você nos desse alguns conselhos básicos para quem sonha publicar um livro aqui no Brasil.

L: Eu que agradeço o convite, flor! Bom, meu primeiro conselho é clichê, mas MUITO importante: não desista! Por mais que pareça complicado. O segundo é mais prático: insista. Busque as editoras que costumam publicar livros com o perfil da sua história e corra atrás; mande email, ligue, vá até a editora (se for possível). Faça com que você chame a atenção da editora (afinal, ela recebe muitos originais diariamente, você precisa convencê-la de que o seu é especial). No mais, procure pessoas que possam te ajudar com sua história e peça dicas; aquela professora ou aquele professor de português que você adora, aqueles seus amigos que são grandes leitores... Enfim, busque melhorar o seu livro, afinal, é muito difícil acertar de primeira!


• Um livro: os meus (haha, desculpa, é difícil escolher). • Um filme: Histórias Cruzadas • Uma musica: Dois Rios - Skank • Um dia perfeito: aquele cheio de risadas escandalosas e inesperadas. • O futuro: com muitas alegrias e realizações na família e no trabalho. Maior sonho: Viver apenas da literatura.



Cada vez que eu converso com a Lavínia, mais eu a admiro e agradeço novamente a ela por ter aceitado participar do "Nas entrelinhas". Adorei todas as respostas e espero que vocês tenham gostado também do nosso papo. Me contem aqui nos comentários se já conheciam a Lavinia e seus livros ou se caso se interessaram através desse post! 
Um grande abraço e fiquem com Deus

14 Comentários

  1. Olá, Aléxia!
    Vi seu post lá na Liga, e acabei vindo parar aqui para ler a entrevista. Quero começar dando os parabéns para você e para a Lavínia, pois sonho em ser escritora desde criança, já tenho participação em antologias de concursos literários, mas ainda não publiquei nenhum livro só meu, e mesmo assim não desisto.
    Confesso que nunca ouvi falar da Lavínia, e nem dos livros dela, mas as histórias me pareceram interessantes, principalmente a do livro "De olhos fechados". A entrevista ficou ótima, e vou guardar como um incentivo a mais para mim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OOi, Lethycia, fico muito feliz que você tenha gostado da entrevista! Poxa, sempre quis participar de antologias, mas nunca consegui, rs :( Quem sabe um dia, né?
      O trabalho da Lavinia é maravilhoso, só li De olhos fechados e por isso posso afirmar que é muito bom! Fico feliz que a entrevista tenha te incentivado ♥

      Excluir
  2. Ain, que entrevista mais amorzinho. Deu uma vontade enorme de publicar um livro agora haha. A Lavinia é muito meiga e fiquei curiosa para ler De Olhos Fechados, acho que essa será a minha próxima leitura.
    Mais entrevistas Lex, por favor ♥

    Beijo,
    http://complexodevaneio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lavinia é muito meiga, né? Simpatia em pessoa ♥ Aeeeeee, leia sim! Tenho certeza que irá amar! E pode deixar, irei fazer vaaaarias outras entrevistas ♥

      Excluir
  3. Um amor essa Lavínia, e inspiradora também!
    Parabéns pelos livros, e parabéns a você Aléxia, pela entrevista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaah, que linda! Obrigada ♥ A Lavinia é maravilhoso, a adoro!

      Excluir
  4. Que fofa essa entrevista! Bateu uma curiosidade de assistir em vídeo haha!

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia a autora nem os livros. Pela entrevista ela parece ser super simpática. Me deu vontade de ler De olhos fechados.
    Beijos'
    www.sejaamavel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lavinia é um amor de pessoa ♥ E De olhos fechados é um livro muito bom, recomendo! ♥

      Excluir
  6. Gostei muito da entrevista (Achei as perguntas bem elaboradas), gostei bastante também da Lavínia, ela parece ser simpática. Não conhecia os livros, mas li a sinopse dele online e acho q vou comprar!!
    Ah, também tenho um blog, se estiver com algum tempo livre, passa lá! :) http://inside-d.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Davi! Fico, realmente, muuuuuito feliz em ler isso! Espero que você consiga ler e que goste bastante, a escrita da Lavinia é muito boa! :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curso de MakeUp com a Boca Rosa